Peitos

Categories Todas
2

Cozinha. Interior. Dia.

 

- Que que você tá fazendo aí com essa geladeira aberta?

- To vendo o que que tem.

- Zé, a gente acabou de almoçar. Não é possível que você já esteja com fome.

- A gente almoçou há quarenta minutos. Já deu tempo da fome ir e voltar três vezes.

- Eu vou te dar remédio pra verme, você deve ter uma solitária aí.

- Quem, a Joana?

- Quem é Joana?

- A minha solitária. A gente tá junto desde os 14 anos.

- A sua solitária se chama Joana?

- Qual é o nome da sua?

- Zé Carlos, vê se eu tenho cara de quem tem verme.

- Não fala assim que ela pode escutar. Ela é muito sensível.

- Depois de três pratos abarrotados de feijoada, ela deve estar bem sensível mesmo.

- Pronto, já achei o que queria.

- Zé, você não vai fazer um sanduíche de pernil.

- É só pra dar uma forradinha.

- PelamordeDeus.

- Ô Lú, te falei que o João terminou com a Carla?

- Sério? Quando?

- Semana passada.

- Caramba. Sabe por quê?

- Não.

- Ele tá com outra?

- Não sei. Quer um pedaço?

- Quero não. Como não sabe? Fala aí, ele é teu amigo. Com certeza tem outra na jogada.

- Como você pode afirmar com tanta categoria?

- Já tá defendendo o canalha. Há quanto tempo você tá sabendo dessa outra?

- Não to defendendo ninguém. Eu só to

- Tá defendendo sim. Vocês são todos corporativistas. Canalhas e corporativistas.

- Já tá sobrando pra mim?

- Ela já te apresentou alguma amiga? Você não presta mesmo. Me dá um pedaço desse pernil.

- Toma. Que amiga?

- Da outra.

- Lúcia, não sei de outra nenhuma. Só sei que eles terminaram. Me dá meu pernil de volta.

- Toma. Eu não agüento comer mais. Eles terminaram ou ele terminou?

- Ai, não sei. Dá na mesma.

- Tá maluco?

- hmpf pfau ksxcis voljtfg

- Come antes de falar.

- Ele que terminou.

- Coitada, ela deve tá mal.

- Deve.

- Eu gostava dela.

- É?

- Nunca conversei muito, mas gostava dela.

- Nunca conversou?

- Não dava muito pra conversar, né. Ela era bem limitada, você sabe.

- Você quer dizer burra.

- Eu não queria falar burra.

- Mas é isso.

- É. Ela era bem burra.

- Ainda é.

- É. Ainda é. Não sei o que ele viu nela.

- Não sabe?

- Não. Você sabe?

- Claro.

- O que foi?

- ox fetchos

- O QUÊ?

- OX FETCHOS

- Engole essa comida, Zé Carlos.

- Os peitos.

- Os peitos?

- Os peitos.

- Ele namorou ela só por causa dos peitos dela?

- Você acha pouco motivo?

- Como assim?

- Os peitos dela eram gigantescos, Lúcia.

- Coméqueé?

- Qualquer um namoraria uns peitos daqueles.

- Zé Carlos, você tem certeza do que você tá dizendo?

- Você não sabe o poder dos peitos gigantes, Lúcia.

- Sinceramente Zé, como sua mulher e advogada, eu aconselho você a voltar para o seu pernil e ficar quieto.

- Um homem pode ficar cego com peitos daqueles, Lúcia.

- Ou surdo.

- Pode matar.

- Ou morrer.

- Atravessar florestas. Pular de abismos. Assistir A Fazenda.

- Sei. E o que você acha que aconteceu para essa mágica toda chegar ao fim?

- Difícil dizer. Peitos como aqueles afetam muito o cérebro. Tudo fica meio fora de proporção.

- Fora de proporção?

- É. O homem começa a perder a noção das coisas.

- Sei.

- É. Ele fica sem saber o que está dizendo, o pensamento fica nublado. E pode acabar tomando atitude equivocadas.

- José Carlos, me diz uma coisa, você está comigo só por causa dos meus peitos?

- Nããããããããããããããããããão, amor. Que isso. Imagina. Claro que não. Você é muito mais do que apenas um par de seios.

- Então você não ficaria comigo apenas por causa dos meus peitos?

- Não é isso que eu estou dizendo.

- Ficaria ou não ficaria?

- Você não quer mais do sanduíche?

- Zé Carlos, o que há de errado com meus peitos?

- Quem disse que há algo de errado?

- Você que disse que são APENAS um par de seios. Que não mataria ou assistiria A Fazenda por eles.

- Amor, que isso, eu assistiria até a Mais Você por causa deles.

- Não mente, Zé Carlos.

- Eu veria até Discovery Home n` Health com aqueles programas de quem faz operação pra colocar balão no estômago.

- E filme iraniano?

- Claro que sim. Seus peitos são super cabeça.

- Cabeça?

- É, são mega cabeçudos. Curtem Bergman, Truffaut, creme de Chantilly.

- Creme de Chantilly??????????

- Château de Chantilly. Château. Quem falou em creme? Eles sonham alto: têm carisma, personalidade. Não são como os outros que só olham pro chão, se nivelam por baixo.

- Vivem se arrastando, né?

- Isso.

- Então.

- Quer mais um sanduíche? Eu faço pra você.

- Não, brigado. Tamos bem já.

- Você e a Joana?

- É.

- E o que que gente vai fazer agora?

- Pensei em ver Aliens X Predador 2. Topa?

2 thoughts on “Peitos

  1. hahhahahaha
    genial!
    curti muito o texto, mesmo!
    contine me atualizando
    abrax

  2. Pingback: CHAD

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>