Veneno de rato

Categories Todas
8

Quarto. Interior. Dia.

Lúcia e Zé estão na cama, acordando.

 

- Zé, tô com uma fome bizarra.

- Agora não se dá mais bom dia nessa casa.

- Bom dia. Zé, tô com uma fome muito bizarra.

- Já aumentou?

- O tempo passa, a fome aumenta.

- Lúcia, você nunca acorda com fome. Você sonhou com comida?

- …

- Lúcia, que cara é essa? O que você aprontou dessa vez?

- Zé, eu tenho uma coisa pra te contar.

- Fala.

- Promete que não vai brigar?

- Não prometo nada. Desembucha.

- Então não falo.

- Ai, caramba. Lúcia, fala logo.

- Não falo. Você vai brigar.

- Tá bom, não vou. Fala.

- Sério?

- É, linda. Claro que não.

- Olha lá, você prometeu, hein.

- Fala logo.

- Então tá. Eu tô tomando um remédio pra emagrecer.

- VOCÊ PIROU, SUA MALUCA? HÁ QUANTO TEMPO?

- Você falou que não brigar.

- HÁ QUANTO TEMPO VOCÊ TÁ TOMANDO ISSO, FALA!

- Cinco dias.

- CINCO DIAS? Você foi ao médico?

-Não.

- NÃO?

- Não grita. Uma amiga minha que foi.

- UMA AMIGA? Você se medicou com UMA AMIGA? Quem foi?

- Foi com a

- Não, não fala quem é, senão eu pego ódio pra sempre e vai ser foda
quando encontrar com ela depois. É aquele tipo veneno de rato?

- Mais ou menos.

- Ai que ótimo, Lúcia. Sensacional. Brilhante.

- Mas eu vou ficar magrinha!

- Acordando com uma fome bizarra? Tá louca? Como que é isso?

- É assim: no começo você sente umas dores fortes aqui, bem na boca
do estômago. Dessas de querer morrer, sabe? Mas aí depois o organismo se
acostuma.

- Com o remédio?

- Não, com a dor.

- Qual é o nome desse remédio?

- Então…, não tem nome.

- COMO ASSIM, NÃO TEM NOME?

- É uma fórmula.

- Aaah, uma fórmula. Que ótimo.

- Mas eu levei pra dois médicos analisarem, tá?

- E o que eles disseram?

- A Dra. Paula vai querer tomar também.

- A SUA MÉDICA RESOLVEU TOMAR O VENENO DE RATO TAMBÉM?

- É, então pode. Não tem problema, viu?

- Ela é mulher. Não conta. Deve ser magra que nem você e se acha uma
elefanta.

- Nada disso. E ela tem 25 anos de medicina.

- Logo, ela é mulher há pelo menos 50. Claro que não conta. E o
outro médico?

- Disse que isso não faz morrer não.

- Só que você vai sentir dores que vão te fazer querer.

- Querer o quê?

- Morrer.

- É.

- Que bom, hein?

- Eu vou ficar gostosona, você vai ver.

- Você já é muito gostosa, meu amor. Não toma isso não.

- Você me quer gorda e balofa, não é?

- Não gatinha, claro que não. Imagina se eu vou querer isso.

- Quer sim! Você me quer uma orca, a baleia assassina, pra sua mãe falar mal de mim e apontar pra mim na rua gritando olha lá aquela Free Willy que vive com meu filho.

- Maria Lúcia, o que você quer comer?

- Um cheese-tudo e uma coca.

- Light?

 

8 thoughts on “Veneno de rato

  1. muito bom! tipo casal neuras, hehehe

    ótimo diálogo, voltarei aqui

    abs,

  2. aahahahahahaha sensacionaaaaaaal
    Achei que a amiga que poderia ter indicado o remédio podia chamar mari
    Ahahahahahahaha Beijo

  3. Aproveita e vê o nome do remedinho da Lúcia e diz?
    Se esse não funcionar, diz a ela q eu tenho um supimpa!

  4. “Você já é muito gostosa, meu amor. Não toma esse remédio não.”

    QUANDO que homem diz isso? kkkkkkkkkkkkkkk
    Pra mim vc gosta muito dos eufemismos, seu moço!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>